domingo, 15 de dezembro de 2013

Resenha: Luis Antonio Gabriela

No dia 16 de março de 2013, na Casa da Cultura de Lins, tive a sorte de marcar presença na peça 'Luiz Antonio Gabriela' que foi ganhadora de 36 prêmios, segundo informações do site do Sesc-PR. Com excelente elenco e uma história marcante, a peça trata a biografia do próprio diretor Nelson Baskerville e seu irmão Luis Antonio que ficou conhecido como Gabriela, um travesti.

A história é contada desde a infância de Luiz Antonio até sua morte. A peça conta com vários elementos como música, vídeo, fotografias, uso de cores, bexigas, pinturas em telas e diversas tecnologias como monitores, câmeras, entre outros. O figurino, simples, mas muito sugestivo, baseava-se em cintas modeladoras nos diversos personagens, uso de máscaras, e até saco plástico. Cenas fortes, como a discussão da família, em contra-posição com o que se passava letreiro, causava uma sensação de confusão e angústia, retratando muito bem aquela situação.

A peça se passa em Santos na sua infância, e em Bilbao (Espanha), na sua fase a adulta. Ela como um todo, com o uso de todos os elementos, e frases fortes, traz o conflito que Luis Antonio vivia - eu nasci em um corpo errado, sou menino ou menina? Eu nasci travesti. - Pode-se sentir o que o personagem sente, se a intenção de Nelson Baskerville foi essa, então conseguiu com êxito.

A nudez na peça, chocante a princípio, não se mostrou apeladora, mas trouxe de frente a realidade da vida de Luis Antonio e, acredite, não foi o principal elemento que retratou a intimidade do protagonista, tudo contribuiu para isso (a história e os sentimentos pronunciados pelo próprio personagem). Luis Antonio procurava por amor em todos os lados, nisso se baseava todas as loucuras que viveu em sua vida.

O elenco mostra toda sua competência e talento não só na interpretação, como também nas jogadas corporais muito habilidosas em cima do palco. A peça não linear, foi muito bem compreensível sendo rica em elementos.

Um drama com pitadas de humor, Luis Antonio Gabriela foi uma bela obra de caráter marcante, trazendo, de forma subjetiva e muito significativa, sentimentos fortes ao público que, de certa forma, se identificava com essas sensações ou até situações. Nelson Baskerville foi muito corajoso e audacioso ao retratar sua própria vida, e ainda completa a obra dizendo que ela é um pedido de perdão ao seu irmão Luis Antonio.  Não foi à toa que a peça recebeu tantos prêmios.
Vale muito a pena conferir!

Ficha Técnica (fonte - Sesc-PR):

Direção: Nelson Baskerville
Diretora Assistente: Ondina Castilho
Assistente de Direção: Camila Murano
Elenco: Marcos Felipe, Lucas Beda, Sandra Modesto, Verônica Gentilin, Virginia Iglesias; Day Porto
Direção Musical Composição e Arranjo: Gustavo Sarzi
Preparador Vocal: Renato Spinosa
Trilha Sonora: Nelson Baskerville
Preparação de Atores: Ondina Castilho
Iluminação: Marcos Felipe e Nelson Baskerville
Cenário: Marcos Felipe e Nelson Baskerville
Figurinos: Camila Murano
Visagismo: Rapha Henry - Makeup Artist
Vídeos: Patrícia Alegre
Fotos: Bob Sousa
Produção Executiva: Sandra Modesto e Marcos Felipe
Produção Geral: Cia Mungunzá de Teatro