quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Blog Desativado

Novo blog no seguinte endereço:

http://comoumaqueen.blogspot.com


Você também pode seguir meu trabalho curtindo essa página, me seguindo no behance , e receber novidades de temas relacionados curtindo essa página .

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Steve Jobs: Sobre a vida, sobre tudo.

source: google images
Um dos discursos que mais inspiram a minha vida, se não o que mais inspirou até agora e que procuro diariamente exercitar: Viver como se fosse meu último dia.

Acho que se todos nós tivéssemos essa mentalidade e agíssemos de acordo, o mundo giraria mais rápido e com mais fluidez.

Sou uma grande admiradora de Steve Jobs e recomendo seu discurso em Stanford.

 

domingo, 15 de dezembro de 2013

Resenha: Luis Antonio Gabriela

No dia 16 de março de 2013, na Casa da Cultura de Lins, tive a sorte de marcar presença na peça 'Luiz Antonio Gabriela' que foi ganhadora de 36 prêmios, segundo informações do site do Sesc-PR. Com excelente elenco e uma história marcante, a peça trata a biografia do próprio diretor Nelson Baskerville e seu irmão Luis Antonio que ficou conhecido como Gabriela, um travesti.

A história é contada desde a infância de Luiz Antonio até sua morte. A peça conta com vários elementos como música, vídeo, fotografias, uso de cores, bexigas, pinturas em telas e diversas tecnologias como monitores, câmeras, entre outros. O figurino, simples, mas muito sugestivo, baseava-se em cintas modeladoras nos diversos personagens, uso de máscaras, e até saco plástico. Cenas fortes, como a discussão da família, em contra-posição com o que se passava letreiro, causava uma sensação de confusão e angústia, retratando muito bem aquela situação.

A peça se passa em Santos na sua infância, e em Bilbao (Espanha), na sua fase a adulta. Ela como um todo, com o uso de todos os elementos, e frases fortes, traz o conflito que Luis Antonio vivia - eu nasci em um corpo errado, sou menino ou menina? Eu nasci travesti. - Pode-se sentir o que o personagem sente, se a intenção de Nelson Baskerville foi essa, então conseguiu com êxito.

A nudez na peça, chocante a princípio, não se mostrou apeladora, mas trouxe de frente a realidade da vida de Luis Antonio e, acredite, não foi o principal elemento que retratou a intimidade do protagonista, tudo contribuiu para isso (a história e os sentimentos pronunciados pelo próprio personagem). Luis Antonio procurava por amor em todos os lados, nisso se baseava todas as loucuras que viveu em sua vida.

O elenco mostra toda sua competência e talento não só na interpretação, como também nas jogadas corporais muito habilidosas em cima do palco. A peça não linear, foi muito bem compreensível sendo rica em elementos.

Um drama com pitadas de humor, Luis Antonio Gabriela foi uma bela obra de caráter marcante, trazendo, de forma subjetiva e muito significativa, sentimentos fortes ao público que, de certa forma, se identificava com essas sensações ou até situações. Nelson Baskerville foi muito corajoso e audacioso ao retratar sua própria vida, e ainda completa a obra dizendo que ela é um pedido de perdão ao seu irmão Luis Antonio.  Não foi à toa que a peça recebeu tantos prêmios.
Vale muito a pena conferir!

Ficha Técnica (fonte - Sesc-PR):

Direção: Nelson Baskerville
Diretora Assistente: Ondina Castilho
Assistente de Direção: Camila Murano
Elenco: Marcos Felipe, Lucas Beda, Sandra Modesto, Verônica Gentilin, Virginia Iglesias; Day Porto
Direção Musical Composição e Arranjo: Gustavo Sarzi
Preparador Vocal: Renato Spinosa
Trilha Sonora: Nelson Baskerville
Preparação de Atores: Ondina Castilho
Iluminação: Marcos Felipe e Nelson Baskerville
Cenário: Marcos Felipe e Nelson Baskerville
Figurinos: Camila Murano
Visagismo: Rapha Henry - Makeup Artist
Vídeos: Patrícia Alegre
Fotos: Bob Sousa
Produção Executiva: Sandra Modesto e Marcos Felipe
Produção Geral: Cia Mungunzá de Teatro


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Circuito SESC de Artes 2013

Casa da Cultura
Lins-SP




Relampião
Cia. do Miolo e Cia. Paulicéia







Este foi um dos momentos mais incríveis pra mim enquanto eu desenhava na tela formas sob movimento, que apareciam no teto do local da apresentação, então tentei escrever algo que me veio à cabeça devido a situação ali, do tentar desenhar uma forma enquanto ela se desfazia, não lembro exatamente, mas foi mais ou menos isso: 'Amor é um sentimento que eu não posso segurar em minhas mãos'. Foi uma delícia, uma sensação de liberdade que a gente sente na infância e saí dali como parte da peça!





The Bigosty Show's
Esteban Hetsch (ARG)



Paula Lima

sexta-feira, 14 de junho de 2013

V FOR VENDETTA

Estamos acompanhando, alguns de perto e a maioria de longe, os protestos que seguem sobre o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo, mas a parte dessa história que me trouxe aqui hoje foi essa imagem que não sei a quem pertence, mas a fonte é a página Desafio dos 50 dias do facebook. Dois manifestantes ali usando a máscara do 'V' do filme 'V de Vingança' que vale muito à pena assistir e nos leva a refletir sobre tomar atitudes e me remete a postagem anterior, 'POR QUE SE CALAR?'.

A arte imita a vida assim como a vida imita a arte!


Para quem não assistiu, o trailer:



Por baixo desta máscara não há só carne, por baixo desta máscara há uma ideia, Sr. Cryde, e ideias são à prova de bala! 

- V 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

POR QUE SE CALAR?

Hoje fizemos uma mini-peça no ensaio do teatro que me trouxe inspiração pra fazer este cartaz que retrata as redes sociais e afins onde as pessoas se manifestam, se revoltam, expressam suas opiniões, mas fora daquele mundinho virtual, nada fazem para mudar a realidade.


confira esse e outros trabalhos no meu behance.